domingo, abril 24, 2005


O grande momento da vida. Posted by Hello

Mallenun

Sentia-se mal. Por nada ser como desejava.
Tudo, era algo que nunca havia visto.
Sempre, era sua preferida.
Sempre falara demais
Sempre dizia pouco
Sentia-se mal. Por sempre criar espinhos em vez de flores.
Que tanto adorava
Mas sentia-se ainda pior, por ser aquilo que mais detestava.

O lugar mais seguro: A eterna escuridão de seus pensamentos.
Onde o tempo não existe,
ninguém entra, todos saem, o nada fica.
Frio como o gelo.
Sombras de desejos secretos
Que nunca serão feitos


Lembranças vivas do passado
Que circundam nossas mentes
Causando tormentos

A cada momento
A cada respiração.
Causando destruição
Por onde quer que vá.

E no coração da tempestade
Vaga o, Homem que só cria o que quer.
Quando destrói o que não queria
Ele nunca viu o que estava a sua frente
Em todo o caminho apenas dor.
Até que ele acabe.

Mas estradas não tem fim.
Sempre começam novamente...

sexta-feira, março 25, 2005


Antes do amanhecer... Posted by Hello

domingo, março 13, 2005

Antes do amanhecer


Às vezes, antes do amanhecer,
Observo atentamente o mundo de trevas ao meu redor.
Sinto seus mistérios em cada sombra em todos os cantos.
Compreendo então a razão de sua existência,
ao completar o que é pleno com sua incógnita sabedoria.
Por vezes fecho meus olhos para o que luz. Por vezes me questiono: Porquê?
Se não acredito mais na ofuscante dádiva divina, onde resta-me refugio para abri-los?

Nos meus sonhos, nos sussurros que me alucinam, existe ainda o resto do que é "ser".

Na paz de quem deseja alcançar o equilíbrio, entre fantasmas e cadáveres encontrarei a saída. Do que me é secreto, por ser tão incerto. Escondido no profundo vazio da essência humana.Das maravilhosas paisagens que passam na janela da carruagem de meus devaneios. Ladeira abaixo a me levar...

domingo, janeiro 30, 2005


"A vida é feita de sacrificios...por honra e glória"  Posted by Hello

Desejo...



Desejo

Confissões no escuro
Certezas incertas
Medos que crescem
Assombrações do passado
Lembranças malignas
Que nunca perecem

Uma intersecção
Entre escuros pensamentos e incansáveis sonhos
Alquimia de vagas vontades
Que insistem em se envolver
Mesmo que seu berço
Não seja verdade

Desejo forte
Que vem e nos procura
Arrastado no insaciável calor
Da ambígua ternura

Desejo Raro
Forte e frágil
Mergulho no infinito
Abismo no desconhecido

Desejo estranho
Que enfraquece em quem não semeia
Perfura duras paredes
E afunda em dunas de areia.